Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marcador Amarelo

Porque há momentos que merecem destaque!

Marcador Amarelo

Porque há momentos que merecem destaque!

15
Abr16

O malabarismo de hoje

Diz que Estuda

Que este tempo anda esquisito acho que todos já reparamos. Se bem que, "Abril águas mil"!

Hoje vou voltar para a minha terra natal e estou ansiosa por isso. No entanto, esta chuva e este vento não me dão grande motivação. É uma verdadeira prova de malabarismo ter de apanhar autocarros ou comboios quando se quer ir de fim-de-semana e se tem de levar malas, principalmente se estiver a chover.

Na mão direita puxo a mala de duas rodinhas pelas colinas da cidade e na mão esquerda levo o guarda-chuva que insiste em virar ao contrario à mínima brisa. É a malinha a tira colo a fazer peso contralateralmente à mala ou a mochila do computador às costas que nas subidas só me puxa é para baixo. É o casacão para o frio ou o impermeável para a chuva que passados 5 minutos de sair de casa me deixam a nadar em suor (a nadar não, a deslizar xD). São as dores nos braços ou nas costas que obrigam a trocar a posição de todas as malinhas, algumas vezes ao longo do percurso. É chegar à estação e na fila para pagar o bilhete ter várias pessoas a olhar para mim, espantadas com o meu indomável cabelo que fica todo de pé com a mínima humidade. E eu sorrir-lhes, vermelha que nem um tomate.

 

Imagem retirada da internet

 

16
Jan15

O dia seguinte...ao yoga!

Diz que Estuda

Hello!
Esta noite dormi lindamente!
De manhã acordei com o despertador de segurança (que é um despertador que toca todos os dias às 8h45) porque me esqueci de tirar o silêncio ao iPhone... Como já disse anteriormente: A culpa é do iPhone! Mas não ligando muito a esse pormenor (que me impediu de ir para a biblioteca) acordei com bastante energia e bem disposta :)

De manhã nem me apercebi muito bem mas com o passar das horas notei que estava bastante dorida em algumas partes do corpo. Onde me dói mais é, sem dúvida, por cima das costelas (ainda não estudei miologia por isso dêem-me um desconto) e nas costas, exatamente nos sítios onde costumo acumular muita tensão. Dói mesmo!

Em conversa com umas colegas:

- Estou toda dorida aqui e aqui...

- O que andas-te a fazer para ficares assim?

- Fui a uma aula de yoga

-O quê? Mas o yoga não é aquela seca parada no mesmo sítio?

- "É"

- Eu pensava que não partia assim tanto e assim nesses sítios!

 

As pessoas estavam sempre à espera que eu dissesse que tinha ido a uma aula de jump ou daquelas actividades que eu falei no post anterior. Não estavam nada à espera que tivesse sido o yoga.

 

A brincar a brincar já há duas colegas que querem ir experimentar um dia destes comigo :P

 

Boa noite

16
Jan15

Fui à minha primeira sessão de Yoga!!!

Diz que Estuda

Pois é, hoje fui à minha primeira sessão de Yoga!!!

A-D-O-R-E-I

Foi exatamente de encontro àquilo que eu procurava. Um momento de paz.

 

Porquê yoga?

Sempre tive curiosidade relativamente a estas coisas. Tudo o que for minimamente alternativo aguça-me a curiosidade. O que é que eu quero dizer com alternativo? Bem, se pensarmos um pouco sobre o leque de ofertas que nos são dadas (e quase metidas pelos olhos dentro), é tudo um pouco à base da excitação e do suor. Correr, dançar, step, cýcling e todas aquelas atividades que nos vem logo à cabeça quando queremos queimar calorias. Depois vem todo aquele cansaço e aquela fadiga e aquele suor por todo o lado...neste momento não tenho tido muita pachorra sinceramente. E por isso digo alternativas, porque são mais escassas e normalmente o que é alternativo há em menor quantidade...(lógica da batata mas pronto)

 

Há dias estive a pensar sobre o que mudou com a vinda para a faculdade e uma das coisas que me surgiu logo foi a Paz. O 12º ano foi sem dúvida alguma o ano mais zen da minha vida. Para contrastar, o 11º que foi o horror dos horrores. E atualmente sinto muita a falta dessa paz, daquela "zenice", daquele I dont care, no stress, I can do it, há tempo para tudo. Eu era sem dúvida a personificação da calma. Às vezes a minha calma era confundida com preguiça e isso deixava-me furiosa. Digam-me lá o que é que eu não fiz e os outros fizeram só porque eles andavam com o stress em alta e eu nem vê-lo -.-

 

A sessão propriamente dita

Sentei-me com as pernas à chinês porque as outras posições base eu ainda não consigo fazer sem uma ligeira dor e coloquei as mãos no colo voltadas para cima com a direita por baixo da esquerda.Demorei algum tempo a fechar efetivamente os olhos, por algum motivo eles abriam-se sempre um pouco agora e logo. Quando libertei a mente de pensamentos começamos com os exercícios. Os iniciais eram relativamente simples em termos de posições mas os seguintes ai ai ai! Eu tenho que admitir que sou uma medricas. Há posições incriveis no yoga mas para mim são completamente assustadoras. As que tinhamos de fazer hoje era simples mas custaram-me bastante porque estava sempre com medo de me magoar no pescoço ou na coluna. Sou verdadeiramente medricas e acho que este medo vem do facto de não estar confiante relativamente ao meu corpo e à minha condição física. Quando era mais nova, lembro-me de fazer o pino em educação física e a roda e tentava vezes sem conta e sem medo quando falhava. Hoje, já não sinto essa capacidade de andar feita tola a atirar-me para o chão daquela maneira.

 

A verdade é que durante a sessão, não consegui pensar em exames, nem em comer, nem em PC nem nada. Foi mesmo bom ter uma horinha para simplesmente não pensar e ao mesmo tempo pôr o corpo à prova. Quando vim para casa, sentia as costas completamente esticadas sem esforço e os abdominais contraidos :D Controlei o que comi (o que nem sempre é fácil) e vinha com a energia no máximo. Lá muito caladinha, cheguei a casa estava uma tagarela xD

 

Outro aspeto que para mim é importante são as energias, as correntes do pensamento e todas essas espiritualidades que complementam tudo o resto. Durante a sessão, a professora chamava sempre a atenção para o sorriso que deviamos ter na face. Mesmo que estejamos tristes, se esboçarmos um sorriso, ao fim de algum tempo o que é exterior passa a ser interior e há uma certa felicidade que se "atrai". No final, fizemos vários agradecimentos e um deles foi à natureza por tudo aquilo que ela nos dá.

Gostei mesmo muito!

Espero conseguir começar a ir sempre, sem desculpas e coisas do género. Tenho de fazer alguma coisa para além de estudar senão praticamente não existo.

 

Boa noite!